Gelo Marinho do Ártico irá Desaparecer até Setembro de 2016?

A imagem em baixo mostra que a extensão do gelo marinho no Ártico é muito baixa, muito menor do que o era noutros anos nesta época do ano. A 11 de Maio de 2016, a extensão do gelo marinho era de 12.328 milhões de km quadrados.
O gelo do mar no Ártico com extensão muito reduzida poderá desaparecer aé Setembro,

A imagem abaixo mostra que a extensão do gelo marinho no Ártico, a 9 de Maio de 2016, era de 11.680 mil km quadrados, mais de 18 dias de antecedência em relação a 2012 e 1,1 milhões de quilómetros quadrados menor do que no dia 9 de Maio de 2012.

Extensão indica que o degelo do gelo do mar no Ártico está 18 dias adiantado em relação a 2012

[Com base na imagem da JAXA]

Comparação da cobertura de neve e gelo em Beaufort e Alasca entre 2012 e 2016A imagem à direita compara o Mar de Beaufort e a parte norte do Alasca entre 9 de Maio de 2012 e 9 de Maio de 2016. Como a imagem mostra, há muito menos cobertura de gelo e neve agora do que havia em 2012.

A situação parece configurada para se deteriorar ainda mais nos próximos meses. A imagem abaixo mostra a previsão da temperatura a chegar a anomalias tão elevadas como 5,19°C ou 9,34°F para o Árctico como um todo (previsão para 19 de Maio de 2016, 03:00 UTC), com anomalias de temperatura na extremidade superior da escala previstas para o Alaska e a Sibéria Oriental.

Anomalia da temperatura prevista para o Ártico a 19 de Maio

Corrente de Jato com padrão ondulado influencia o tempoEstas anomalias de temperatura andam de mãos dadas com uma Corrente de Jato muito ondulada, como ilustrado pela imagem à direita, mostrando alças que se estendem até lá acima sobre o Oceano Ártico (em particular sobre o Mar de Beaufort), levando consigo o ar quente.

Ao mesmo tempo, a Corrente de Jato pode estender-se bem para sul noutros locais, fazendo com que o ar frio se mova para sul, para fora do Ártico.

O resultado é um Ártico em rápido aquecimento, o que por sua vez faz com que a Corrente de Jato fique ainda mais ondulada, como um de inúmeros feedbacks que estão a atingir o Ártico ao mesmo tempo.

Temperatura de superfície do mar sofre anomalias de 11°CA imagem à direita mostra que as temperaturas da superfície do mar perto de Svalbard estavam tão elevadas quanto 55°F (12,8°C) a 11 de Maio de 2016, uma anomalia de 21,2°F (11,8°C) em relação a 1981-2011. Por outras palavras, a temperatura da superfície do mar era de 1°C nesse ponto, de 1981 a 2011, e agora este local está 11,8°C mais quente.

A imagem abaixo compara as anomalias de temperatura da superfície do mar em relação a 1961-1990 entre 12 de Maio de 2015 e 12 de Maio de 2016.

Comparação da temperatura de superfície do mar entre Maio de 2015 e 2016

As temperaturas da superfície do mar no Oceano Ártico estão mais elevadas do que costumavam estar, em particular, no Estreito de Bering, no Mar de Beaufort, na Baffin Bay e no Mar de Kara.

A imagem abaixo mostra que, ao longo dos últimos 365 dias, o aquecimento sobre o Ártico tem sido muito mais forte do que em todo o resto do mundo. Anomalias da temperatura do ar de mais de 2,5°C (4,5°F) revelam-se sobre a maior parte do Oceano Ártico. Além disso, o gelo do Ártico está em má forma, o calor do oceano é muito elevado e está a subir, e temperaturas elevadas estão previstas atingir o Ártico durante a próxima semana. As chances são de que o gelo do mar irá, em grande parte, desaparecer, até Setembro de 2016.

Ártico muito mais quente em relação ao ano passado e anos anteriores, o gelo poderá desaparecer até Setembro de 2016

De Novembro de 2015 a Abril de 2016, as temperaturas globais sobre os continentes e os oceanos estavam de 1,48°C (ou 2.664°F) maiores do que em 1890-1910 (mapa da esquerda da imagem abaixo). Nos continentes, estavam 1,99°C (ou 3,582°F) mais quente (mapa direito da imagem abaixo).

temperaturas globais sobre os continentes e os oceanos muito elevadas e a aumentar entre 2015 e 2016
[ Clique nas imagens para ampliar ]

Uma vez que cerca de 0,3°C (0,54°F) do aquecimento por efeito estufa já havia ocorrido em 1900, o aquecimento estava bem acima da marca de segurança dos 1,5°C (ou seja, 2,7°F) que o Acordo de Paris tinha prometido não seria ultrapassado.

A situação é terrível e apela a uma acção abrangente e eficaz, conforme descrito no Plano Climático.

Traduzido do original Arctic Sea Ice gone by September 2016? de Sam Carana, publicado no blogue Arctic News, a 13 de Maio de 2016.
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *