Tornado Inabitável pelo Calor — Sudão e Partes do Norte de África e Médio Oriente Estão Ameaçados

O Norte de África já está quente e está a aumentar fortemente em temperatura. Em algum momento neste século, parte da região irá tornar-se inabitável.

Dr. Johannes Lilieveld

O número de refugiados climáticos pode aumentar drasticamente no futuro. Pesquisadores do Instituto Max Planck de Química e do Instituto Cyprus em Nicósia calcularam que o Médio Oriente e Norte da África podem tornar-se tão quentes que a habitabilidade humana fica comprometida.

O Instituto Max Planck

*****

Ondas de calor tão quentes que é impossível realizar qualquer atividade ao ar livre sem ameaça de lesão ou pior. Tempestades de areia furiosas que tornam o ar irrespirável. Secas enormes que arruínam a produtividade agrícola e a biodiversidade ao mesmo tempo. Secções da África e do Oriente Médio estão atualmente a ter uma amostra destas novas e perigosas condições climáticas. Mas a sua frequência pode aumentar em cinco vezes ou mais ao longo dos próximos 30-40 anos — um mal ameaçador, o colapso do governo, e o deslocamento forçado de milhões de pessoas.

O Sudão poderia tornar-se inabitável pela mudança climática

Devido ao aquecimento causado pelo homem, estes tipos de eventos já estão a acontecer em lugares como o Sudão, com frequência cada vez maior. E uma reportagem recente da CNN mostra que esse estado norte-Africano está sob a ameaça de se tornar inabitável para os seres humanos devido às alterações climáticas.

Areas de risco de seca climatica e desertificação em África

Um novo crescendo infértil. A mudança climática aumenta os riscos de desertificação de regiões semi-áridas em toda a África. Fonte da imagem: Grid-Arendal, Universidade de Columbia e CNN

A seca tem impactado a agricultura na medida em que 1,9 milhões de pessoas nesta nação de 40 milhões poderiam enfrentar a fome durante o próximo par de anos. Mais de 3,2 milhões enfrentam escassez de água. E na justaposição irónica que muitas vezes vem com a mudança climática — desde 2013 cerca de 600.000 pessoas foram deslocadas devido aos dilúvios que têm cada vez mais frequentemente chegado no fim dos períodos longos e secos.

Para o Sudão, os problemas estão apenas a começar. Lá para meados do século as temperaturas de superfície na região podem aquecer entre 1,1 e 3,1 graus Celsius. E tanto aquecimento adicional vai multiplicar a ocorrência dos tipos de ondas de calor, secas e tempestades de poeira nocivas que estão a acontecer hoje muitas vezes mais. No final, o Sudão está em risco de ser abandonado já que as suas terras são tomadas por um clima impróprio para habitação humana.

500 Milhões de Pessoas Sob Calor e Seca Extremos em África e no Médio Oriente em Meados do Século

Mas não é apenas o Sudão que está a enfrentar uma mudança para condições climáticas de desfazer a nação. Em 2050, os eventos relacionados com o calor extremo irão acontecer cinco vezes mais frequentemente enquanto a Terra aquece numa crescente dissecação em África e ao longo de uma boa parte do Oriente Médio. Durante os verões, a meados do século, as temperaturas em toda esta zona vulnerável poderiam chegar a tanto quanto 5 graus Celsius mais quente do que são hoje.

Temperaturas quentes no mèdio Oriente e Norte de Árica

Incrivelmente quente: o Norte de África e Médio Oriente, a temperatura média irá subir creca de 2,5ºC (esquerda) por volta de meados do século, e no verão em torno de cinco graus Celsius (direita) se as emissões de gases de efeito estua continuarem a aumentar de acordo com o cenário de negócios como sempre (RCP8.5).

(As temperaturas deverão subir a níveis extremos em toda a África e Médio Oriente devido à queima de combustíveis fósseis e o aquecimento relacionado do Sistema Terra. Os impactos produzem um risco elevado de migração em massa para fora dessas regiões à medida que as condições de estufa tomam posse. Fonte da imagem: O Instituto Max-Planck).

Incluindo o Sudão, mais de 500 milhões de pessoas vivem nesta região. E de acordo com o Instituto Max-Planck, dias extremamente quentes — dos quais houve 16 por ano dentro desta área vulnerável entre 1986 e 2005 — irão aumentar em cinco vezes para 80 por volta de 2050, e até entre 118 a 200 em 2100.

Um calor extraordinário e persistente adicionado vai assar a humidade dos solos, arruinar florestas, e fazer avançar desertos. Irá produzir dias de temperaturas húmidas que se aproximam ou ultrapassam o limite da resistência humana (35 C) outra e outra vez. Uma tal elevada prevalência e intensidade de condições adversas farão os problemas atuais enfrentados pela região parecerem leves a moderados em comparação. No final, inúmeros locais provavelmente tenderão a tornar-se basicamente inabitáveis.

Chamada à Ação

Dada a dureza que vem a caminho e aquilo que provavelmente será uma migração em massa evitável, cientistas e ambientalistas estão a chamar à ação. A CNN e outros têm destacado a necessidade de ajuda a África e ao Médio Oriente. Mas por tão útil que seja o auxílio àqueles que estão desesperados e a lutarem para sobreviver, o principal condutor de todo o problema são as emissões de combustíveis fósseis pelos seres humanos. E a menos que pare, esta região e os seus povos altamente vulneráveis, entre outros ao redor do mundo, serão atingidos muito duramente.

Michelle Yonetani, um conselheiro sénior em catástrofes do Centro de Monitoração para o Deslocamento Interno, observou que encorajar os governos a aumentarem os compromissos para agirem sobre o clima é “talvez um dos meios mais indiretos [para ajudar], mas [é] a nível mundial o mais importante. Agora é realmente o momento de pressionar os governos para agir … “Caso contrário, vastas regiões em África e no Médio Oriente enfrentaram desestabilização, colapso, e migração em massa em horizontes de tempo bastante curtos.


Se ainda não o fizeram, podem subscrever aos novos conteúdos aqui!

Traduzido do original
Rendered Uninhabitable by Heat — It’s Not Just Sudan, Parts From North Africa to the Middle East are Under the Gun
, publicado por Robertscribbler em http://robertscribbler.com/ a 9 de dezembro de 2016.

Estes conteúdos são traduzidos e/ou legendados por voluntários motivados pelo desejo de facilitar o conhecimento a todos e assim melhorar as nossas vidas. Qualquer pessoa pode fazer o mesmo.
Para iniciar ou sugerir uma tradução, clique aqui.
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *